• Home
  • Entrevista
  • Chester Bennington falou sobre a música “Heavy” para a rádio 102.7 KIIS FM

Chester Bennington falou sobre a música “Heavy” para a rádio 102.7 KIIS FM

Em entrevista à rádio 102.7 KIIS FM para JoJo Wright, Chester Bennington falou sobre o que a música “Heavy” se retrata e o que as pessoas tem pensado sobre o novo álbum. Confira a tradução:

“Eu não sei se vocês sabem, mas eu fico mal às vezes. É como se não importasse como estou me sentindo, sempre me vejo lutando contra algum tipo de comportamento, me sinto preso a uma coisa que fica se repetindo diversas vezes e me pergunto porque estou naquilo. Há momentos em que você é capaz de separar as coisas e consegue fazer algo a respeito.

Há muitas circunstâncias que levaram a isso. Eu sei que quando estou sozinho em meus pensamentos, fico meio maluco, não digo coisas legais para mim mesmo e sempre há algo que me põe para baixo, como coisas da vida, comportamentais ou coisas depressivas. Mas sei que quando não estou nesse lugar, sou uma ótima pessoa.

Em ‘Heavy’ isso soou como ‘não gosto da minha mente agora’, ‘preso em pensamentos que são tão desnecessários’, foi desse lugar que todas essas coisas saíram. Há ainda um momento em que digo ‘eu mesmo me deixo maluco’, pois fico pensando que esses são problemas de verdade.

Acredito que quando você consegue sair desse lugar e enxergar tudo do ‘lado de fora’, você realmente está se elevando mentalmente. Então esse foi um momento em que pensei que poderia enfrentar isso, pois quando me sinto nessa situação só consigo pensar em como posso sair daquilo.

Quando escrevi essa música ano passado eu estava muito mal. Eu acho que as pessoas pensam que quando se você é bem-sucedido, você recebe um cartão dizendo que sempre será satisfeito e feliz por toda sua vida, mas não é bem assim. Acho que a única coisa diferente em minha vida é o Linkin Park, pois todo o resto é normal, afinal eu sempre tive esse lado obscuro dentro de mim. Quando não estou trabalhando contra isso minha vida fica uma bagunça e, foi daí que toda a inspiração das músicas veio.

Foi tudo através de conversas sobre como a vida é, e sobre o que como ser amigo, marido, pai, parceiro de banda. Quero dizer, todos nós estávamos falando sobre aspectos de nossas vidas e percebemos que todos nós passamos por momentos ruins. Não precisávamos achar a fonte de inspiração, pois essa é a nossa vida. Sempre escrevemos sobre nossas vidas e isso deve ser o suficiente, não precisamos achar coisas novas.

A vida sempre está aprontando algo, seja bom ou ruim, mas o lado ruim é o que mais me pega. Sinto que consigo entender melhor as pessoas quando passo por essas coisas, ou trabalho com mais paixão, e isso acaba se tornando algo positivo.”